História do Bolo de Casamento

Desde a antiguidade os casamentos eram celebrados com um bolo especial. Na Roma Antiga as cerimônias eram finalizadas com um bolo sendo esfarelado sobre a cabeça da noiva, para que ela tivesse boa sorte e fertilidade. Os recém casados então comiam alguns pedacinhos do bolo esfarelado, compartilhando o restante com seus convidados, o que traria boa vida ao novo casal. Por centenas de anos essa foi a tradição do bolo de casamento nas cerimônias.

senhoritaacucar_historiadobolodecasamento1

Os primeiros bolos de andares, simples discos de massas com especiarias empilhados uns sobre os outros, datam da Inglaterra medieval. Os noivos tentavam beijar-se por sobre o bolo de andares, sem derruba-lo, ao final da cerimonia, o que lhes traria boa sorte. Quanto mais alto o bolo, mais próspera seria a vida do casal, o que garantia aos recém casados uma vida repleta de felicidade e fertilidade.

Os primeiros bolos de casamento decorados com glacê branco datam do século dezessete, elaborados pela famosa cozinheira inglesa Sra. Raffald, que combinou a massa de bolo com o glacê branco e uma pasta de amêndoas. Foi no casamento da rainha Victoria com o príncipe Albert, na Inglaterra, em 1840, que o bolo de casamento de múltiplos andares e totalmente decorado com glacê real branco – que significava pureza -, virou tendência nas cerimonias do mundo todo.

O corte do bolo pelo casal e a divisão do primeiro pedaço simboliza que suportarão qualquer dificuldade juntos e estarão sempre unidos.

O bolo tradicional de três andares redondo – os três anéis -, utilizado desde o inicio do século 20, representa o noivado, casamento e eternidade. O formato circular do bolo simboliza a união infinita do casal.

Deixe seu recado!